Seis anos

Há dias e dias. Há dias bons, há dias maus. Há dias que são iguais a tantos outros dias, e há dias que marcam a diferença. Há dias que mudam a nossa vida. O dia 29 de Janeiro de 2006 mudou a minha vida. Foi o dia em que a minha filha nasceu. As minhas prioridades mudaram, em muitos aspectos, e noutros ganharam novo ânimo e ficaram fortalecidas. Os meus receios tomaram nova forma e alguns deles acompanhar-me-ão até ao fim da minha vida. Mas um facto é indiscutível: a minha vida ficou mais rica a partir do dia 29 de Janeiro de 2006.
Entretanto passaram seis anos – já seis anos, seis óptimos anos. E rápidos. Citando Vergílio Ferreira, “O tempo que passa não passa depressa. O que passa depressa é o tempo que passou”.

(A ouvir Total from Joy Division to New Order, gentilmente partilhado pelo Companheiro Vasco.)
Anúncios

Publicado por

Miguel Bettencourt

Marido, pai, informático e entusiasta da fotografia. Corro, não só pelo prazer que a corrida me proporciona, mas sobretudo porque posso correr.

5 opiniões sobre “Seis anos”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s