Enchente [2]

Disse o Miguel Azevedo neste post que, e cito, “veio-me à ideia que aquele é um dos poucos locais onde (também ainda) as vagas vão morrendo na pedra escura ao(s) ritmo(s) do coração…”.
Esta fotografia é a minha tradução, em formato de imagem, das palavras do Miguel. O local onde foi tirada é precisamente o mesmo onde foi morrer esta Enchente. Na pedra escura.

Anúncios

Publicado por

Miguel Bettencourt

Marido, pai, informático e entusiasta da fotografia. Corro, não só pelo prazer que a corrida me proporciona, mas sobretudo porque posso correr.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s