No complexo megalítico

Umas fotos tiradas na Grota do Medo, em Angra do Heroísmo, concretamente num local conhecido por Complexo Megalítico (por comprovar a possibilidade) devido às estruturas lá existentes e que têm sido alvo de estudo e análise por parte do professor e investigador Félix Rodrigues.
Os mais curiosos poderão clicar neste link para aceder a uma notícia publicada no jornal Açoriano Oriental no passado dia 14 de Junho de 2013.
Estas são as fotos que fiz. Pretendo voltar em breve ao local para fotografar outros enquadramentos e pormenores.
“Gruta de Camões”

A mesma inscrição, em pormenor, à entrada da gruta.

O estado do tempo não era o mais agradável, chovia e toda a área estava coberta pela névoa. Por outro lado, estas condições proporcionaram um ambiente que, a juntar às características do local, irradiava magia e uma energia que tenho dificuldade em explicar.

As rochas existentes no local lembram-me as de Sintra.

Cá está o tempo fechado. Como referi, pretendo voltar a fotografar o local, preferencialmente numa manhã soalheira com os raios de sol a penetrarem as copas das árvores.

“Fonte Castalla”

Anda malta a escalar aqui. Tenho que entrar em contacto com essa malta para experimentar esta actividade.

Isto serviu para alguma coisa.

Abrigo. A entrada é delimitada por duas lajes de pedra. Alguém fez isto há muito tempo.

“Penedo de S. Pedro”

A caminho da estrutura mais conhecida por via da comunicação social.

Ei-la.

Idem.

Um dos pormenores (o único que fotografei) que encontramos no possível (ou não, ultrapassa-me) Complexo Megalítico, desta feita marcado na rocha diversas vezes. Independentemente de quando aquilo foi feito, não creio que tenha sido obra da mão da natureza.

Deixei esta foto, e a seguinte, para o fim. É “apenas”algum lixo (muito, independentemente da quantidade que lá está) deixado por quem não tem consciência de espécie alguma (ambiental, cívica, colectiva e por aí fora).

Já nesta foto testemunhamos uma brutalidade ambiental que rebenta com a escala da imbecilidade. Como é possível que alguém (mais do que uma pessoa, certamente) deposite um frigorífico num local cujo acesso não sendo propriamente difícil, tê-lo-á sido com este peso nos braços ou nas costas, quando existem formas bem mais fáceis e eficientes para nos livrarmos deste tipo de objectos? Caramba, basta um telefonema.
Anúncios

Publicado por

Miguel Bettencourt

Marido, pai, informático e entusiasta da fotografia. Corro, não só pelo prazer que a corrida me proporciona, mas sobretudo porque posso correr.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s