Dorsal 65

Guardo o dorsal número 65 do Azores Trail Run por dois motivos: primeiro, guardo-o como recordação do primeiro trail run em que participei; segundo, pelo facto de se tratar da primeira edição da prova – a primeira de muitas, espero, e a julgar pelo sucesso do evento, a todos os níveis, penso que muitas mais edições virão no futuro. Posto isto, segue-se um breve relato da minha experiência no Azores Trail Run 2014.
No post anterior referi que certamente esta experiência seria muito boa. O facto é que, em rigor da verdade, superou as minhas melhores expectativas. Tratando-se da minha primeira experiência numa prova do género, naturalmente não tenho nenhuma referência anterior que me permita expor uma análise pormenorizada sobre a organização do evento. Contudo, a julgar pelo que presenciei durante os dias em que decorreu o Azores Trail Run e, principalmente, com base nas opiniões de participantes experientes que me deram conta da satisfação que sentiram em relação ao evento, e pelo que tenho lido (por exemplo aqui), não tenho dúvidas que neste campo a prova esteve ao mais alto nível, desde os membros da organização até aos muitos voluntários envolvidos e toda a logística implicada, desde a recepção dos participantes e do briefing até à entrega de prémios.
No plano desportivo penso que também não podia ter sido melhor. O Azores Trail Run teve duas provas, o Faial Costa a Costa (48km), no qual participaram atletas de topo a nível nacional e internacional, e o Trail 10 Vulcões (21km), no qual eu participei – a vontade que tenho agora a de correr os 48km na próxima edição. A nível pessoal, a prova correu muito bem. Foi um trail tecnicamente interessante, e duro nos últimos quilómetros, mas lá consegui chegar à meta no Vulcão dos Capelinhos com o tempo 2:08h, em 15º lugar entre os 96 participantes que terminaram a corrida. Corri no meu ritmo habitual na maior parte do percurso e um pouco acima em algumas zonas, consciente de que estava preparado para terminar a corrida bem disposto. E assim foi, apesar das contracções que tive nos gémeos de ambas as pernas nos últimos 500 metros, aproximadamente. Feitas as contas, sei que dei o meu melhor, e se por tentarmos dar o nosso melhor nos torna competitivos, nesse caso admito que o sou, comigo próprio, sublinho.
Gostei muito de toda a prova e apreciei cada passo que dei. Mas destaco dois momentos: ter chegado à meta com a alma lavada e ter tido o prazer de correr cerca de 2,5km na companhia do Carlos Sá – eu não sou dado a ídolos, mas se os tivesse ele seria garantidamente um deles, pois trata-se de um atleta que admiro muito. Claro que na fase em que corri lado-a-lado com o Carlos Sá ele já trazia nas pernas muitos mais quilómetros do que eu, uma vez que participou no Faial Costa a Costa. Foram breves minutos que apreciei muito, durante os quais conversámos um pouco acerca da prova e sobre os Açores. Ao entrarmos na descida do Vulcão dos Capelinhos fiquei para trás em sequência das tais contracções nos gémeos.
Chegado à meta, fui directamente para uma massagem e pouco depois estava novo, a aviar uns chicharros fritos empurrados com pão-de-milho e três ou quatro fresquíssimas cervejas.
Venha a segunda edição do Azores Trail Run em 2015. Oficialmente, estou a preparar-me para os 48km.


A Equipa Prius Synergy Drive Trail Running (Valter Braga, Telmo Soares e eu próprio) na companhia do amigo João Valadão, junto à partida do Faial Costa a Costa, de onde o João saiu para os 48km que tinha pela frente.


Novamente a equipa, desta feita junto à partida do Trail 10 Vulcões.


Eu a descer para a meta. (Fotografia: Click Faial)

À chegada, no Vulcão dos Capelinhos, as minhas palmas foram para todas as pessoas e entidades que estiveram directa e indirectamente relacionadas com a organização do Azores Trail Run e que proporcionaram um excelente evento a todos os níveis. (Fotografia: Clube CIAIA)
Anúncios

Publicado por

Miguel Bettencourt

Marido, pai, informático e entusiasta da fotografia. Corro, não só pelo prazer que a corrida me proporciona, mas sobretudo porque posso correr.

Uma opinião sobre “Dorsal 65”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s