Manhã

Esta manhã, na habitual aproximação a Angra do Heroísmo, vindo da Praia da Vitória, reparei no arco-íris que caía sobre a zona da Grota do Medo, precisamente no local onde se encontra o chamado Complexo Megalítico. Não foi, nem será, o último arco-íris que se forma à entrada de Angra pela manhã, mas que eu tenha memória foi a primeira vez que o vi a penetrar as copas dos eucaliptos e – apelando à imaginação – infiltrando-se na Gruta de Camões, na Fonte Castella e no Penedo de São Pedro.
No leitor de CDs rodava o álbum “Incógnita Alquimia” dos Dazkarieh e a música que tocava era a “Estrela de Cinco Pontas“. Olhei para a Francisca, através do espelho retrovisor interno do carro. Lá estava ela, sentada na sua cadeira para bebés, atenta ao que só ela sabe.
Apeteceu-me adiar um pouco, nem que fossem apenas trinta ou quarenta minutos, o que faço quando chegamos a Angra do Heroísmo nas manhãs de segunda a sexta-feira: deixá-la com a avó e dirigir-me para o meu local de trabalho. Ao invés disso, o que gostaria de ter feito, teria sido irmos em direcção ao referido complexo, estacionar o carro e meter-me mata dentro com a minha filha mais nova ao colo. Estava uma manhã bonita, a convidar para um passeio descontraído e livre de horários.
Imaginei-nos a entrar na mata rasgada pelos raios solares, num cenário a fazer lembrar O Senhor dos Anéis. No solo, as folhas, os ramos e as pedras estariam iluminadas pelo arco-celeste e adquiriram as cores deste fenómeno natural que inunda de inspiração o imaginário e as artes: pedras vermelhas e pedras violetas, folhas azuis, umas em tom escuro e outras em tom claro, ramos em cor-de-laranja e ramos amarelos. E bicharocos verdes. Um cenário para encher o olho a qualquer criança.
Se por um lado fui responsável por ter completado o ritual diário, entregando a minha filha à avó e indo directamente para o trabalho, por outro fui um mau pai por não a ter levado a um passeio que marcaria o resto do seu dia.
Anúncios

Publicado por

Miguel Bettencourt

Marido, pai, informático e entusiasta da fotografia. Corro, não só pelo prazer que a corrida me proporciona, mas sobretudo porque posso correr.

One thought on “Manhã”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s